Aqueduto


Antes febril do que servil;
antes flor que fuzil.
Antes a luta do que o luto;
melhor o bêbado do que o bruto.

Da vez primeira que
o raio do amor em mim caiu,
meu coração em dois se partiu:
o Antes e o Depois.

Amar é muito mais que juntar
o feijão com o arroz.
Se não puder ser mar,
seja então aqueduto!

José Antonio Klaes Roig

Observação 1: Poema acima de minha autoria, escrito em 05/04/2019 e protegido pela lei de direitos autorais.
Observação 2: Imagem acima, encontrada na internet no endereço abaixo:
https://www.jw.org/pt/publicacoes/revistas/g201411/aquedutos-engenharia-romana/

Comentários