Ah, esses vermelhos


Ah,
esses vermelhos
nucleares.
Nada radioativos,
mas para filtrares.

Ah,
esses entardeceres
solares
aguardando por tuas
luas milenares.

Ah,
nunca é tarde
para seres
mais humano
por essas ruas
seculares.

José Antonio Klaes Roig

Observação 1: Poema acima de minha autoria, escritor em 04/06/19 e protegido pela lei de direitos autorais.
Observação 2: Imagem acima, fotografia de minha autoria, do entardecer visto pela janela do meu quarto.

Comentários