Enquanto as crianças dormem...


O progresso nos asfalta, a realidade nos assalta;
Enquanto as crianças dormem o mundo continua a girar.
A Feliz/cidade é um sonho, Villas e Lobos são a dura realidade
Que feito índios e mocinhos, num trenzinho caipira
Insistem em nos rodear.

Ave Marias no morro, e eu morro de medo de saber
Que em banho-maria cozinham um a um nossos sonhos,
Enquanto os sonolentos do tempo
Cerram pálpebras, baixam asas e não se importam mais
Deste transe eterno despertar...

Sonhos empenhados um por um nessas loucas babéis.
Aviões caem do céu em chamas sobre prédios e quartéis.
Sem dinheiro pra poder comer
Como se pode querer sonhar?

Se correr o bicho cega, se ficar o bicho fome.
Não há mais tempo pra correr atrás de perdidas ilusões.
Enquanto as crianças dormem o mundo continua a girar...
Enquanto o mundo dorme as crianças continuam a chorar...

José Antonio Klaes Roig

Obs.: Poesia escrita no início dos anos 90, século XX, e reescrita em 2001 para um concurso literário. Colagem acima também de minha autoria, com recortes de revistas.

Comentários

Anônimo disse…
Sim, provavelmente por isso e